segunda-feira, 15 de março de 2010

Millenium é o novo IBAD

Por João José de Oliveira Negrão

No dia 1 de março realizou-se em São Paulo, num hotel cinco estrelas, o 1º Fórum Democracia e Liberdade de Expressão, convocado pelo Instituto Millenium. A “módicos” 500 reais por cabeça, a “população” brasileira poderia ter participado do encontro de tycoons da mídia nativa (Civitas, Marinhos, Frias e outros) com neocons (que aqui, como nos EUA, são ex-esquerdistas que passaram com armas e bagagens para o conservadorismo mais delirante).

O encontro é uma resposta pela direita à I Conferência Nacional de Comunicação, de dezembro passado, quando mais de mil delegados do país inteiro – depois de realizadas as etapas estaduais, que envolveram milhares de pessoas – debateram as concessões dos canais de rádio e TV, universalização do acesso às telecomunicações, internet, políticas públicas de democratização das comunicações, regionalização de conteúdos, convergência das mídias, um novo marco regulatório para o setor e o controle social de políticas públicas para o setor. Os segmentos ligados aos oligopólios da comunicação brasileira, como a ANJ, a Abert, a Aner e outros recusaram-se a participar do debate democrático.

E agora, são estes mesmos setores que patrocinam o Instituto Millenium, que parece uma versão renovada do velho IBAD e de seu braço “intelectual”, o IPES. Conforme se pode ler no clássico de Rene Dreifuss, 1964, a conquista do Estado, o Instituto Brasileiro de Ação Democrática e o Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais financiaram, produziram e difundiram uma grande quantidade de programas de radiofônicos, de televisão e matérias nos jornais com conteúdo anticomunista. As duas entidades contribuíram decisivamente na oposição ao governo de João Goulart, fator crucial para o êxito do Golpe Militar de 64.

João José de Oliveira Negrão é jornalista, doutor
em Ciências Sociais e professor no Ceunsp

(Publicado no Bom Dia Sorocaba de 15/03/2010)

2 comentários:

Anderson Oliveira disse...

Concordo...

e diria mais se fosse um tolo esquerdista:

Todo e qualquer movimento da direita deve ser censurado, combatido, extirpado até que cheguemos finalmente à hegemonia esquerdista!

Quanta bobagem...a esquerda pegou em armas também...sempre sonhou e ainda sonha com o golpe.

Temos instituições sólidas e liberais no Brasil e nem o PT, seus aliados, e tampouco o Instituto Millenium (que reúne importantes professores de grandes universidades brasileiras)vão acabar com isso!

João José de Oliveira Negrão disse...

Talvez vc prefira ser um tolo direitista. Se é de gosto, regala a vida...