segunda-feira, 12 de julho de 2010

Serra e controle da imprensa

Por João José de Oliveira Negrão

Frequentemente, o governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de querer controlar a imprensa. As entidades que agregam as grandes empresas do setor, como a ANJ (Associação Nacional dos Jornais), Abert (Associação Nacional das Emissoras de Rádio e Televisão) e a ANER (Associação Nacional dos Editores de Revistas) – as mesmas que apoiam a desregulamentação da profissão de jornalista – vivem a alardear as “ameaças” à liberdade de expressão, principalmente depois da realização da I Confecom (Conferência Nacional de Comunicação), que debateu temas como pluralidade e participação social nas concessões de canais de rádio e TV.

Essas mesmas entidades, até agora (estou fechando este artigo na manhã de domingo), no entanto, não se manifestaram a respeito do controle de fato exercido pelo governo tucano de São Paulo e pelo candidato José Serra – o preferido delas -- na TV Cultura, pretenso canal “público” do nosso estado. O conhecido jornalista Heródoto Barbeiro foi afastado da condução do programa de entrevistas Roda Viva depois de fazer perguntas “incômodas” a Serra sobre os pedágios em São Paulo. Ele será substituído por Marília Gabriela que, ao mesmo tempo que comandará o Roda Viva, na Cultura, manterá outro programa de entrevistas no SBT.

O mesmo assunto custou o cargo do Diretor de Jornalismo da TV Cultura, Gabriel Priolli – com muitos anos de casa, mas que ficou apenas uma semana na direção. Ele ousou mandar produzir uma matéria sobre pedágios, onde ouviu Aloizio Mercadante e também o candidato tucano Geraldo Alckmin. Priolli caiu e a matéria não foi ao ar.

(Publicado no Bom Dia Sorocaba de 12/07/10, com título alterado pela redação para Serra e imprensa)

6 comentários:

felipeshikama disse...

Serra parece aquele rei tirano que, ao receber más notícias do mensageiro, mandava matá-lo.

Falando em imprensa e campanha, saiu esse mês, no Le Monde Diplomatique, uma grande entrevista com sua orientadora Vera Chaia... vale a pena! Abraz!

Anderson Oliveira disse...

Caro professor,

não noto no afastamento do Heródoto do Roda Viva algo tão insidioso quando o que vocês, petistas, andam dizendo por aí.

Primeiro que o Heródoto, segundo vocês, integra a equipe dos jornalistas tucanos de São Paulo. O Nassif mesmo afirma isso.

Segundo, nunca vi, com exceção do Markun, nenhum apresentador fixo no programa. Isto é, vários já revezaram como âncoras do Roda Viva.

Terceiro, mostre-me que a contratação da Marília Gabriela denota algo bom para os tucanos. Não há nada que corrobore a tese de que ela é defensora do Serra.

Seu artigo lembra-me dos comentários dos frequentadores do Comunique-se, abaixo da notícia sobre o caso. Divulga-se teses conspiratórias, sem nenhuma base. Não há uma fonte, mesmo que sigilosa, que evidencie o envolvimento político no caso.

Não duvido que seja isso. No entanto, é preciso provar.

Abraço

João José de Oliveira Negrão disse...

Talvez, Anderson, vc prefira crer que foi tudo uma mera coincidência: Heródoto questiona Serra sobre pedágios, este retruca que ele "verbaliza o trololó petista" e menos de uma semana depois, perde o cargo; Priolli assume a direção de Jornalismo, produz matéria sobre pedágios e em uma semana, perde o cargo. Mas é coincidência, até porque o Serra NÃO tem a fama de perdir cabeças de jornalistas que o incomodem.

Valdinei Queiroz disse...

Há anos que o PSDB é frente do Estado de SP, isso todos sabem.

Altamiro Borges entre outros escritores mostram o que o governo tucano, em especial o Serra, fez com Luis Nassif, e agora com outro jornalista da TV Cultura.

Fico na dúvida com relação a isso. Pego exemplo de um petista como governador do estado de sp, será que isso iria acontecer?

Caso Aloizio Mercadante vença, será que algum jornalista da emissora da Cultura falar mal da Dilma ou da gestão de SP, ele será punido, até mesmo mandado embora?

É algo para ser pensado. O doce é bom, mas o azedo ninguém quer pensar e sentir.

João José de Oliveira Negrão disse...

Valdinei, o fato - concreto e palpável - é que o Serra perseguiu estes jornalistas e aparelhou a TV Cultura. Este é o fato. Quanto ao Mercadante, é ilação. Se vier a ser governador - o que eu espero que aconteça - e fizer o mesmo (pedir cabeça de jornalistas incômodos), vai levar pau também. Mas aí é abstração. Heródoto e Priolli são vítimas do Serra.

Anderson Oliveira disse...

Lembrei de outro ponto:

"Heródoto e Priolli são vítimas do Serra."

Esse é o problema de não se escolher os jornalistas a dedo, como se faz na TV Brasil. hehehe...